Uma das tendências do mundo contemporâneo é tirar-nos do foco e manter-nos “interligados” e “conectados” continuamente, estimulados pelas plataformas digitais, mídias e redes sociais, somados ao cardápio self-service de entretenimento característicos do século XXI, e encavernados no ambiente de trabalho, constituindo esse último nossa casa e nosso lar em primeiro plano.

À medida que os anos passam, o coração do cristão se frustra em detrimento de ter abdicado de sua vocação a partir da voz d’Aquele que sustenta todas as coisas, e que o chamou e o separou como Seu eleito, sendo participante de Sua vocação divina e sacerdotal numa geração em trevas, como luzeiro resplandecente.
Todo o foco de Cristo estava em cumprir a Missão confiada pelo Pai a sua pessoa como homem, mesmo que ele detivesse sim de uma vontade própria, cabendo a Ele realizar uma célebre escolha: “…a minha comida consiste em fazer a vontade do Pai que me enviou e realizar a Sua obra” (João 4:34). Essa escolha cruzaria o Calvário, a aparente perda e morte (separação) do Pai em Sua comunhão, e aconteceria nos portões d’Aquela que será de fato ,o palco de Seu futuro reino glorioso: a Jerusalém terrena.

Ao aproximar-se do tempo para a Sua morte, seus olhos e todo o seu ser demonstravam a intrépida resoluçãodesubiràJerusalém.SeusercompreendiaaexatavontadedoPaieaconvicção plena de estar no lugar, no momento, cercado pelas circunstâncias favoráveis do chronos e do kairos (tempo humano e tempo divino) e imbuído das motivações altruístas para fazer cumprir a vontade do Pai que o separou e o enviou na plenitude dos tempos (Gálatas 4:4). Não existe lugar mais seguro do universo, senão o centro da vontade de Deus para o nosso coração. Existem estações distintas de nossa caminhada terrena. E estas estações devem ser administradas com graça e sabedoria por cada um de nós, até mesmo porque a próxima estação pode estar interligada às conexões e cumpri- mentos devidos à anterior em obediência e pré-disposição de nosso coração! Nada é permanente, salvo a Palavra de Deus que é eterna e por ela, o Senhor vela para cumprir!

O ano de 2018 finda-se como um marco divisor de águas para a Nação brasileira, legando- nos uma intervenção sobrenatural nas eleições, evidenciando o “fraco” e “desprezado” dos homens parasercolocadoemposiçãodedestaque,masmuito mais,deresponsa-bilidade,sensodevocação e zelo pelas causas sociais e públicas. Sua chegada ao Palácio foi uma intrépida decisão em 2014, traçando planos e metas para isso.

As crises éticas, sociais, econômicas e políticas que as nações enfrentam não podem nos deter e impedir-nos de avançar para o eterno propósito que o Senhor estabeleceu nos tempos eternos para a Sua noiva e Igreja gloriosa. Seus eleitos levantar-se-ão e cumprirão a multiforme sabedoria conforme Paulo em Efésios (3:10), deixando um testemunho de que verdadeiramente Deus está no meio do Seu povo e faz grandes coisas!

Subir à Jerusalém era o foco de Cristo! Nossa Jerusalém não é a terrena. O autor de Hebreus nos aponta que temos chegado à Jerusalém celestial (Hebreus 12:22), à assembléia dos primogênitos arrolados nos céus…

Temosplanodeem2019subirmos àJerusalémcomumacaravanaespecial,visandoedificar corações a partir dos textos sagrados na terra prometida a Abraão, Isaque e Jacó. Mas nosso plano maior é identificar em nossos corações o desejo de servir a Deus com afinco, talentos e dons entregues por Ele para cumpri-mento do Seu eterno propósito em nossas vidas.
Nossa meta é sermos acha-dos em “foco” em nossa missão e decidirmos resolutamente seguir-mos avante “à Jerusalém”. O texto de Lucas a partir do verso 51 a 56, do capítulo 9, aponta a resistência dos samaritanos em aceitar a proposta do evangelho de Cristo e seus discípulos. Não estamos isentos de dificuldades e frustrações, mas o aspecto de Cristo conforme Lucas, era: “ …de quem decisiva-mente ia para Jerusalém”(9:53b).

As tensões que se instalam em nossa caminhada são tenta-tivas múltiplas de nos paralisar e tirar-nos do foco e do propósito que Deus mesmo tem traçado para o Seu Corpo – a Igreja. Nesses sete anos de caminhada como Comunidade Cristã Nova Vida, desafios e perspectivas humanas são inúmeros, mas o foco é mantermos a seriedade do evangelho e a intrépida resolução em nosso semblante, que estamos sim, decididos correr a jornada que nos está proposta (Hebreus 12:1-3). Nesse ínterim, encerro com duas considerações : Como está o seu semblante frente às tensões da jornada que você mesmo(a) abraçou um dia em lealdade a Cristo? Qual o seu nível de resiliência em suportar as intempéries da vida, evidenciando a todos que o(a) cercam sua resoluta ida (subida) à Jerusalém? Uma das frases que os judeus mais compartilham anualmente entre eles nas festas religiosas judaicas é esta: Próximo ano, em Jerusalém!

Desejo que 2019 seja um ano marcado por um resgate dessa “intrépida resolução” em tudo aquilo que o Senhor nos designar! Não importam as dificuldades, as aflições e as tensões que exacerbam nossos ânimos, “nosso aspecto será de quem decisivamente, subirá à Jerusalém…”

Feliz Aniversário, Comunidade Cristã Nova Vida; Feliz Natal e um Feliz 2019! Próximo ano, em Jerusalém!

Pastores: Fernando Henrique e Felippe Carneiro Leão.